domingo, 18 de dezembro de 2016

Você


Já faz tanto tempo que que não tenho você em meus braços...
É uma sensação estranha, um misto de tristeza e esperança.
Sinceramente não sei qual dos dois é que mais aperta em meu peito.

Estou de pé, olhando dentro de minha própria cabeça, olhando minha mente, repassando lembranças... abraços, beijos e conversas, nesse momento estou sonhando acordado, e tenho plena consciência de que falo sozinho. Talvez tenha enlouquecido, talvez a solidão tenha aberto as portas para o delírio. Ou talvez a própria solidão seja um delírio.

Me agarro a desejos, pecados, sempre me lembro dos cheiros nesse momento, do aroma... A recordação de sua pele é tão vívida que fico feliz por esse delírio, em minha mente o desejo prevalece, desejo de sentir seus seios em minhas mãos, seus mamilos em minha boca, de tocar em seus pés, de beijar suas pernas, sua barriga, desejo sentir seu sabor...

Sei que escrevo de forma vulgar, mas meus pensamentos vulgares que motivam a continuar escrevendo.


Tenho saudades do seu corpo eu admito, mas apesar de todo esse desejo o que eu não daria por um abraço, um simples abraço, e quem sabe um sussurro ao pé do ouvido: “eu te amo!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário