sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Cerração

Eis que o relógio marca 12 horas e a cerração ainda teima em acinzentar o dia, e essa paisagem desoladora que se cria juntando o vento e o frio penetra em minha alma.

Talvez não pelo simples fato de ser, mas, por de alguma forma habitar minha mente.

Talvez me pareça ainda mais desoladora por refletir meus sentimentos.

De fato sinto que essa bruma permeia meus pensamentos, que esse frio gela meu coração e que esse vento sopra meu otimismo...

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

ILHA

Me sinto como uma ilha de memórias cercado por distâncias.



No entanto sei e sinto que a maior distância começa e termina em meu peito.

sábado, 27 de setembro de 2014

PARADOXO



Sentado aqui vejo um horizonte de contrastes.
Vejo maquinas trabalhado alheias aos pássaros que voam por perto, alheias ao sol e ao calor que ele oferece em contraponto ao frio.
E vejo a mim trabalhando alheio ao tempo que passa impiedoso.

Sentado aqui percebo que estou distante demais de tudo.
E é a distância, um mal que me faz viver o paradoxo de não querer que os dias terminem, ao mesmo tempo em que quero que chegue logo o dia de ir ver quem me faz bem. 

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Do tempo


Criamos o monstro que nos consome
E o vemos passar na janela como se ele sempre estivesse ali
O alimentamos com nossa respiração
E tememos sua chegada preenchendo cada espaço dos nossos dias
E na tentativa de prolongar aquilo que nós mesmos estipulamos
não sentimos e não vivemos com plenitude a sua ausência...
(Caroline Cristiano Cardoso)

terça-feira, 22 de julho de 2014

saUdadeS


Sinto-me encurralado, entre coisas que amo.
Sinto-me encurralado, entre coisas que quero.
As coisas que amo exigem de mim caminhos diferentes...
As coisas que quero me forçam a me machucar, não importa o caminho que tome.
As coisas que quero e amo, são as mesmas e me fazem tão bem...
Mas qual caminho devo seguir, quando meu coração e minha razão concordam em não achar uma resposta?
Não procuro um estado de felicidade plena, mas estou com saudades e não consigo viver os momentos felizes...
Sinto-me triste hoje...            ...como a muito não sentia.


quinta-feira, 27 de março de 2014

um brotar


Sinto um brotar um alvorecer, e talvez algo novo, algo bom saia desse meu peito, quem sabe algo transformador, quem sabe um novo aroma ou até mesmo um poema... 
Ou talvez seja apenas um arroto, uma blasfêmia, um sentimento de pudor, uma fala sem sabor. 
Quem sabe... 
Quisera eu entender, mas meu peito já não se importa comigo e vez em quando apronta das suas.