terça-feira, 29 de novembro de 2011

Um homem que não sabia quem era o que era!

Esse homem não sabia quem era, não sabia o que era, ele realmente não sabia se era algo ou alguém, ele nem se quer sabia, se realmente existia.
Às vezes pensava que ele próprio não passava de uma mera coincidência.
Ele pegava todos os seus medos e angustias e guardava muito bem escondidos em um baú no porão e às vezes quando estava totalmente sozinho ele ia lá e ficava a se deliciar com pena de si mesmo.
Ele tinha tantos anos nas costas e tão poucos na cabeça
Ele sentia que gostava e sentia tanto...
...sentia medo, alegria, angustia, felicidade, raiva e acima de tudo confusão.
Ele se sentia tão pouco e se fazia parecer tanto, e não entendia como podiam as pessoas acharem o que quer que achassem dele, porque como pode alguém achar qualquer coisa de uma simples coincidência?
Às vezes esse homem se assustava com o fato de algumas pessoas gostarem dele, ele até poderia rir se não estivesse chorando. Mas seu choro era ridículo e ele sabia, por que achava que isso não era direito dele.
Ele realmente pensava que poderia ser alguém, no entanto muitas vezes teria se contentado em ser algo.
Certa vez esse homem soube que falaram mal dele, disseram que ele não era um alguém legal, disseram que ele não passava de uma mentira, e ele chegou a ficar mesmo indignado, mas isso era só mais uma mentira.
Ele não mentia e isso era bem verdade, mas ainda sim era provavelmente o maior mentiroso que existiu, ele contava todos os dias uma verdade, dizia que existia e era realmente verdade, mas ao mesmo tempo essa era uma grande mentira.
Esse homem não se entendia, não entendia as pessoas, e realmente não entendia quem gostava dele.
Às vezes ele se pegava morrendo de medo de perder tudo, mas quase sempre chegava a conclusão que não podia perder o que não possuía, mas por mais que tentasse engolir essa verdade a mentira era mais forte e fazia com que sofresse mais e mais.
Ele até falava que sofria, e isso era verdade, mas como pode uma mera coincidência ser verdadeira?
Então não acreditavam nele, claro que não, quem acreditaria?
Ele se via obrigado a descer até o porão, abrir o baú e colocar esse sofrimento lá, porque sabia que essa verdade era mais mentira do que verdade, não que não fosse verdade, mas uma verdade não pode ser verdade para aqueles que não acreditam nela.
No fim ele nem sentia muita saudade do sofrimento, de vez em quando ele abria o baú e podia ter sua dose de sofrimento auto-infligido.
No fim ele não existe mesmo, então não se preocupem.
Mas se precisarem dele o mais fácil seria achá-lo no porão, abraçado ao seu precioso baú.

domingo, 20 de novembro de 2011

O que você vê?


ELE – Você não gosta mais de mim?
ELA – Você sabe que sim, mas não é só isso!
ELE – É eu sei, nunca é...
ELE – Estou com medo...
ELA – Do que?
ELE – De mim. De quando olho no espelho e não me reconheço, tenho medo quando quem aparece no reflexo é você!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Monstros


Às vezes tudo o que você quer é se queimar e destruir-se, só pra sentir alguma coisa, as vezes você faz coisas que não deve só pra sentir alguma coisa, e então o problema é que você sente demais, e ninguém esta nem ai (porque estariam?) então porque você se importaria? E o que sente não é bom ai você faz de tudo pra parar de sentir e ai se queima de novo, em um fogo que queima muito, mas por pouco tempo, ai você se queima de novo e de novo... Até que já esta tão queimado que sua pele já não se regenera mais, e então as pessoas se afastam, e você nem pode culpá-las,  isso porque também não iria querer ficar próximo de alguém assim!! E chega um ponto que você está tão deformado que ninguém mais te reconhece, nem você mesmo! A imagem no espelho já não é sua, sua vida já não é sua, e sentir já não faz diferença, e tudo que busca é o fim.
Você pensa que não pode ficar pior, mas pode sempre pode, e todos os monstros que habitavam dentre você agora estão soltos, e eles assustam, você quer controlá-los, mas eles estão a tanto tempo soltos que você já não pode mais trancá-los de volta, e você se entrega ainda mais, e ai piora, porque sempre piora....