sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Bolha de sabão!!



Ouvi sábios falando com preconceito e ignorância, e ouvi ignorantes falando com sabedoria sobre liberdade. Cansei-me! 

Parei de ouvir os sábios e
os ignorantes, passei a ouvir a todos os homens, e agora dou crédito somente aquilo que me ilumina a alma, acalma o coração e sacia minha sede de saber. 

Aprendi que entre o silencio e o falar, existem mil respostas e milhões de perguntas, aprendi que o saber pode vir de todos e de ninguém, pois não existem sábios nem ignorantes para aquele que sabe ouvir.

 Enfim, aprendi que entre o ruído e a música existem apenas convenções.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

tenho sempre de mais



Tenho que amadurecer tenho tanto a aprender a fazer.



Sempre cometo os mesmos erros sem perceber antes que seja tarde de mais.



Quem sou? Quem?



Quem gostaria de ser?



Por que estou escrevendo?



Por que deixo registrado aqui minha confusão?



Por que tenho estas perguntas?



E porque nunca sei qual “porquê” devo usar?



O que procuram meus dedos quando tocam essas teclas?



Será dizer aquilo que meus lábios não ousam ou será expressar aquilo que minha mente não entende?



Quanto tempo vou viver neste ciclo maniqueísta?      Quanto tempo perderei de minha vida voltando sempre ao mesmo ponto, quando irei realmente aprender e transcender?



Quando vou parar de pensar em fazer e realmente começar a fazer?



Quando deixarei de lado minhas certezas?



Quando deixarei de lado minhas inseguranças?



Quando colocarei em prática aquilo em que acredito?



Para todas as perguntas existe uma resposta possível.



Eu bem sei qual é, mas tenho vergonha de registrá-la e depois ler.



Mas se não o fizer o quão grande pode ficar esse monstro?



Eu pretendia escrever medo.



Mas não é medo é outra coisa, e eu sei bem o que é.



Mas ainda não tenho coragem de registrar....

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Pensando...

Não estou encontrando o que quero aqui, na verdade nem sei ao certo o que quero.
Bem talvez saiba, e talvez tenha medo.
A verdade é que, o que quero não esta aqui e nem é algo. É alguém.
Às vezes penso que sou eu. Às vezes sei que preciso me encontrar, pois tenho a terrível mania de me perder de mim.
Mas hoje quem quero não está aqui, hoje sei bem onde estou. E estou em outro lugar com outra pessoa. Hoje minha mente está longe em outra cidade, hoje minha mente repousa tranquila no colo de minha menina.
Eu me sento aqui e lembro dos bons momentos, me consolo neles. Fico esperançoso pensando nos que estão por vir.
Penso em tudo isso e pensando percebo que estou com saudades.