sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Malquerença


Era uma garota insegura, medrosa e chorona.
Era bonita, mas não muito, era comum, e odiava ser comum, aliás ela poderia fazer uma lista enorme de coisas que odiava:
Odiava os garotos, quase todos, principalmente os que não a notavam, mas odiava ainda mais desejar tais garotos.
Odiava as garotas que saiam com eles, odiava a futilidade delas, a falta de intelectualidade delas, mas acima de tudo odiava pensar que talvez fosse melhor ser como elas.
Odiava os livros de romance que lia, odiava os finais felizes impossíveis, odiava o melodrama deles, mas odiava mais ainda gostar tanto de lelos.
Odiava os filmes de comédia romântica, onde o amor era engraçado, onde ele era gostoso, onde os caras sempre acabavam notando as garotas comuns, mas odiava mais ainda viver em uma comédia romântica onde o seu amor era piada, seu romance era a graça, onde nunca era notada.
Odiava os caras que a notavam odiava os que gostavam dela, e odiava ainda mais o fato de alguns serem mesmo inteligentes e legais, odiava alguns serem até bonitinhos, odiava não conseguir gostar deles e os odiava porque eram como ela, e sabia que no fundo queriam mesmo eram aquelas mesmas meninas fúteis.
Odiava ser inteligente, e tirar notas altas mas odiava ainda mais quando tirava notas baixas.
Odiava as pessoas felizes mas se odiava ainda mais por não poder ser uma delas.
Odiava ser invisível, mas odiava muito mais ser notada, odiava quando notavam seus defeitos, os jogavam em sua cara, mas odiava ainda mais quando notavam suas qualidades, porque isso a impedia de se odiar.
Ela odeia mentiras, só que odeia ainda mais as verdades, as odeia por machucarem tanto quanto as mentiras.
Odeia sentir-se só, e odeia ainda mais saber que não está realmente só, ela realmente se odeia por isso.
Odeia não conseguir pedir ajuda, mas odeia ainda mais ter que pedir ajuda.
As vezes ela fica tão confusa que não sabe direito o que odiar e odeia isso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário