quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

tenho sempre de mais



Tenho que amadurecer tenho tanto a aprender a fazer.



Sempre cometo os mesmos erros sem perceber antes que seja tarde de mais.



Quem sou? Quem?



Quem gostaria de ser?



Por que estou escrevendo?



Por que deixo registrado aqui minha confusão?



Por que tenho estas perguntas?



E porque nunca sei qual “porquê” devo usar?



O que procuram meus dedos quando tocam essas teclas?



Será dizer aquilo que meus lábios não ousam ou será expressar aquilo que minha mente não entende?



Quanto tempo vou viver neste ciclo maniqueísta?      Quanto tempo perderei de minha vida voltando sempre ao mesmo ponto, quando irei realmente aprender e transcender?



Quando vou parar de pensar em fazer e realmente começar a fazer?



Quando deixarei de lado minhas certezas?



Quando deixarei de lado minhas inseguranças?



Quando colocarei em prática aquilo em que acredito?



Para todas as perguntas existe uma resposta possível.



Eu bem sei qual é, mas tenho vergonha de registrá-la e depois ler.



Mas se não o fizer o quão grande pode ficar esse monstro?



Eu pretendia escrever medo.



Mas não é medo é outra coisa, e eu sei bem o que é.



Mas ainda não tenho coragem de registrar....

Nenhum comentário:

Postar um comentário