domingo, 15 de abril de 2012

Breve...


Hoje escrevo por que li, na verdade estou sempre lendo, mas li algo que me chamou atenção, e me fez querer escrever. Sei que tenho andado distante do blog, tenho andado ocupado de verdade, às vezes ainda me espanto quando me chamam de professor. Mas eu gosto, ainda não havia feito nada que gostasse tanto. Talvez por isso esteja sempre usando meu tempo em função do meu trabalho. Mas como havia dito hoje li algumas coisas, não de pensadores clássicos, mas de pessoas que conheço. Em poucos momentos aqui no blog escrevi desta maneira, mas hoje volto a escrever assim, pois no fundo gostaria que algumas pessoas lessem.
Como sempre escrevo de dentro pra fora sem preocupação com lógica, e sem dúvida com sinceridade. Hoje li sobre amor, hoje li sobre amadurecimento, e me senti feliz. Mas também um pouco triste. E claro que fiquei com medo.
As pessoas passam por nossas vidas, em momentos tão breves, tão curtos, e a vida é tão breve. Não posso falar se o tempo é um vilão ou aliado, talvez os dois, mas ele de maneira nem uma pode mudar a intensidade do que acontece. Quem faz isso somos nós mesmos, o tempo é inexorável, imutável, nossa percepção dele que é extremamente maleável.
Posso dizer então, que vivi alguns momentos intensos, posso falar de boas lembranças, e posso lembrar com um sorriso nos lábios, posso falar de saudades.
É engraçado, mas quando percebo amadurecimento de alguém sempre me sinto infantil, e mesmo assim gosto de pensar que tive algo haver com o amadurecimento de algumas pessoas.
Como é estranho olhar para trás, reviver momentos, como isso parece irreal, pertencente a outro mundo, outra realidade, e deve ser mesmo, deve ser isso, é como se fossem várias realidades diferentes, até porque cada pessoa sé um universo inteiro.
Hoje li sobre amor, hoje me senti mais esperançoso, e digo – não menos do que com um sorriso no rosto – que estou bem, e talvez por isso escreva menos, pois a muito percebi que meu estopim é a angustia, é quase sempre nesses momentos que explodo em palavras. Mas não hoje, hoje estou bem. Feliz por ter compartilhado com algumas pessoas e ainda poder compartilhar com outras. Posso sem dúvida citar Chico e falar que “o blues já valeu a pena” e ainda mais, posso falar que valeu muito a pena em outras ocasiões.
Agora vivo um “rock and roll” diferente, e mais uma vez meus sorrisos são sinceros, hoje sei que poderei ter aquele abraço que abraça mais do que meu corpo, que pode abraçar minha alma!
Não sei o que esperar do futuro, mas quem sabe... como já havia dito em outro momento, sei tão pouco sobre o depois, então que o depois fique pra depois.

2 comentários:

  1. Bom dia meu amigo, seu blog é show de bola, e o que vc escreve é alma, não para de escrever viu, estarei sempre acompanhando. Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que vc gostou!!! Não pretendo parar de escrever não :)

      Excluir